IN DA HOUSE: A TOWNHOUSE DE MARINA LARROUDÉ EM NYC

Como não ser fã de carteirinha de Marina Larroudé?! Não é só por ela ser de Araçatuba (me julguem ‘bairrista’ por isso), mas pelo incrível trabalho que vem realizando no mundo da moda, caminho esse começou em um estagio de dois anos na Vogue Brasil e continuou em NYC, quando se mudou pra lá em 2003 para acompanhar o marido Ricardo Larroudé, que trabalha no mercado financeiro.

De lá pra cá, Marina passou quase nove anos no, hoje extinto, site Style.com, até ser chamada para trabalhar como Diretora de Moda da Teen Vogue, em 2014. O convite da Barney’s, famosa loja de departamentos das mais hypadas, para ser Diretora de Moda do setor feminino veio no fim do ano passado, bem quando ela e o marido encontraram, no Upper East Side, uma townhouse de 1910, perfeita para eles e os filhos, Gloria de 8 anos e George de 3. Vida nova em todos os sentidos!

O décor, feito pelo arquiteto e designer de interiores Giancarlo Valle, mostra total sintonia com o estilo de Marina: sofisticado e casual. Apesar das várias obras de arte, a decoração se mostra totalmente usável e real, de acordo com a realidade da família. A casa foi setorizada da seguinte maneira: térreo com living, sala de jantar e cozinha; primeiro andar com suíte do casal, quarto de brinquedos, terraço e segundo andar para os quartos das crianças.

O arquiteto trabalhou em conjunto com as ideias trazidas por Marina, que além de estar por dentro do mundo da moda, tem faro fino pra decoração, que vem de família. A madeira, as texturas e os pontos de cor, deixaram os ambientes elegantes o suficiente para recepcionar amigos, e ao mesmo tempo, condizentes com a realidade de uma família com duas crianças.

Marina, que sempre morou em Midtown, encontrou seu pedacinho de céu no Upper East Side, de onde pode ir trabalhar a pé se quiser e segue realizando seu ‘American Dream’ com louvor, pra sorte das fashionistas de plantão e orgulho das araçatubenses antenadas.

A FOTOGRAFIA DE SLIM AARONS

Como eu estou toda envolvida com o tema ‘fotografia’, agora que temos a parceira do top fotógrafo Luigi Bianco, resolvi falar de um cara que fotografava um mundo glamoroso, estilo Instagram, muito, mas muito antes desse ‘mundo virtual’ (fake ou não) existir. Tô falando de Slim Aarons, o icônico image maker dos anos 50.

Slim Aarons começou sua carreira como fotojornalista da Segunda Guerra Mundial, mas foi entre as décadas de 50 e 80 que se tornou o fotógrafo preferido da elite internacional, clicando o high society se divertindo em suas mansões, praias, piscinas, mostrando o lifestyle invejado das celebridades pelo mundo.

Aarons comentou uma vez, que fotografava “pessoas atraentes fazendo coisas atraentes em lugares atraentes”, definindo perfeitamente seu trabalho, do qual sentia orgulho em nunca ter fotografado modelos, nem ter contado com a produção de stylists ou maquiadores para sua fotos. Um ótimo exemplo é a imagem ‘Poolside Gossip’, feita na Kaufmann House, projetada por Richard Neutra, onde a proprietária Nelda Linsk é uma das modelos da foto.

No ano passado, quando se comemorou o centenário de Aarons, sua ex-assistente Laura Hawks lançou o livro ‘Slim Aarons: Women’, que reúne imagens icônicas de mulheres/musas do fotógrafo. E este ano, o cineasta Fritz Mitchell lançou o documentário ‘Slim Aarons: The High Life’, que mostra os bastidores das fotos, depoimentos e detalhes de sua própria vida.

Falecido em 2006, Aarons prova que foi o fotógrafo mais cool de todos os tempos, com um trabalho cada vez mais reconhecido por ter capturado como ninguém a essência glamorosa do jet set internacional de uma época. Sua fotografia fazia com que pessoas bonitas, em lugares bonitos, parecessem estar tendo ‘the time of their lives’, num simples, porém perfeito, clique.

Gostou das imagens maravilhosas de Slim Aarons e quer ter uma também?! Alguns sites vendem as fotografias do artista, como Jonathan Adler, Photos.com e Yellow Korner. É só acessar e se deleitar!

FICUS LYRATA [A PLANTA ‘TRENDY’ DA DECORAÇÃO]

O FICUS LYRATA está para a decoração de 2017, assim como a samambaia foi a febre dos anos 70. Isso porque essa planta se desenvolve muito bem em ambientes internos.

Na Europa ela já era conhecida e utilizada há bastante tempo, agora virou ‘A’ planta trendy do décor no Brasil também. É fácil encontrá-la estampando revistas e participando de mostras de decoração, como a Casa Cor, já que ela tem presença e se comporta imponente no ambiente, com suas folhas grandes, volumosas e de formato escultural.

Quer ter uma em casa? Eu quero! Mas antes, algumas dicas:

  • LUZ NATURAL – apesar de se adaptar bem em ambientes internos, como toda planta, esta também precisa de luz do sol. Arruma um espacinho aí perto da sua janela ou varanda e pronto! Seu FICUS LYRATA vai ficar feliz.
  • VASO OU JARDIM – no jardim, plantado como árvore, ele vai bem a sol pleno. Se optar por vaso, escolha um grande, onde a planta possa se desenvolver. Modelos não faltam: cerâmico, vietnamita, em palha ou até inox, o que melhor compor com sua decoração.
  • ONDE – mesmo em vaso, essa planta atinge um porte grande, mas ainda assim, se mostra super versátil, podendo ser usada em salas de estar, jantar, escritorios ou halls de entrada. Seja qual for o ambiente escolhido, a descontração chic é certa!

Linda, né?! Tem tudo pra dar um up na sua decoração, não só pela beleza, mas pela facilidade de cuidar e pela ‘presença’ que tem no ambiente. Afinal, trazer um pouquqinho de natureza pra dentro de casa é sempre bom, né?!

Agora dá licença, que eu vou ali comprar uma pra mim, tsá?!

Beijo, outro, tchau!

NOVA YORK DESCOMPLICADA: A ARTE DE VIK MUNIZ NO METRÔ

Nova York tem várias estações de metrô com obras de arte de diferentes artistas. São exposições permanentes, numa parceria entre a companhia que administra o metrô e artistas diversos que expõem suas obras, permitindo que milhares de pessoas tenham acesso à arte, sem precisar entrar num museu.

E passeando pelo Snap da Cami Cilento (vale muito a pena seguir a Camila do iamleaving2day, tanto no Snapchat, onde ela mostra seu dia-a-dia na Big Apple e dicas incríveis, quanto no Instagram, com suas fotos lindas), fiquei encantada pelos mosaicos hiperrealistas e divertidos do artista brasileiro Vik Muniz, nas paredes da estação do metrô que ela mostrou.

Pesquisando mais sobre a obra, vi que os mosaicos ocupam as paredes de uma, das três estações da nova linha do metrô inaugurada em janeiro deste ano. O interessante, é que essa ampliação foi concebida em 1929, mas começou a sair do papel só em 2007 e pretende alcançar um total de 16 estações, conectando desde a Rua 125, no Harlem, até a Rua Hannover, no coração de Wall Street. O que hoje são 3km, vão chegar a 13,7km ao final da ampliação completa.

O mural de Vik Muniz, batizado de Perfect Strangers, conta com 30 personagens em tamanho real e pode ser visto por você -e por mais de 200mil pessoas por dia, que passam por ali- na estação da Second Avenue com a 72nd St, linha Q. Além de Vik, artistas como Chuck Close e Sarah Sze também possuem trabalhos expostos na estação.

Então já sabem, pros sortudos e felizardos que estiverem indo pra Nova York (espero estar inclusa nessa lista, Deus!), não deixem de ver, fotografar e me contar tudo sobre esses murais lindos depois!

Imperdível!

fotos: architecturaldigest.com, gothamist.com, mnn.com, upout.com, lilkidbigcity.com

IN DA HOUSE: A CASA DESCOLADA DE FRAN MONFRINATTI

É como dizem: a casa é o reflexo de seus moradores. E nesse caso, com donos tão descolados, esse apartamento não poderia ser diferente. A casa da influencer Fran Monfrinatti é uma aula de design, com suas peças assinadas e obras de arte espalhadas por todos os cantos. Já falei pra ela que, quando eu crescer, quero morar num lugar assim!rs Olha essas fotos e fala se não é um sonho, pra que curte arquitetura e interiores.

Começando com a escolha do apartamento, projeto do conceituado (and ídolo) Isay Weinfeld. São 450m² no primeiro andar do Edifício Panorama, nos Jardins, São Paulo, com portas-balcão e generosas varandas, que se abrem na altura das copas das árvores, transformando o apartamento em casa.

Mantendo a identidade do projeto original, mas integrando os ambientes ao máximo, o apartamento foi seccionado em três volumes: sala com cozinha para receber os amigos, home theater e suíte master (e bota MASTER nisso: são 120m² de área), todos revestidos com muita tinta branca, concreto aparente, portas/paineis em aço carbono e obras de arte por todos os lados.

Esse mood artsy, dá ares de galeria ao apartamento, com iluminação indireta, que proporciona a sensação de “showroom de loja de design”, devido à quantidade e variedade de objetos de diferentes épocas e correntes artísticas, alguns garimpados (destaque para o boneco Playmobil customizado como ‘Papai Noel rebelde’, encontrado numa oficina de motos) e muitos assinados por grandes nomes como Patricia Urquiola, Jean Prouvé, Sérgio Rodrigues.

A concepção do projeto foi feita por Marcello Maksoud, publicitário, chef, designer, curador e diretor de estilo da loja Benedixt e marido de Fran, a rainha do hi-lo, com um radar apurado pra tudo que é descolado. Alguma dúvida de que essa mistura dos dois deu super certo?! Fran acredita que existe um total diálogo entre moda e decoração. Por isso, as combinações inusitadas, que mostram a personalidade da shoelover, aparecem nessa profusão de moveis, objetos, cores -talvez exagerada à primeira vista e que não passa de cara, a ideia de que ficaria bem junto- mas totalmente harmônica quando se presta atenção com um olhar mais apurado. Um verdadeiro ‘parque de diversões’ para apaixonados por arquitetura, arte, moda e decoração. Incomum e encantador!