IN DA HOUSE: A TOWNHOUSE DE MARINA LARROUDÉ EM NYC

Como não ser fã de carteirinha de Marina Larroudé?! Não é só por ela ser de Araçatuba (me julguem ‘bairrista’ por isso), mas pelo incrível trabalho que vem realizando no mundo da moda, caminho esse começou em um estagio de dois anos na Vogue Brasil e continuou em NYC, quando se mudou pra lá em 2003 para acompanhar o marido Ricardo Larroudé, que trabalha no mercado financeiro.

De lá pra cá, Marina passou quase nove anos no, hoje extinto, site Style.com, até ser chamada para trabalhar como Diretora de Moda da Teen Vogue, em 2014. O convite da Barney’s, famosa loja de departamentos das mais hypadas, para ser Diretora de Moda do setor feminino veio no fim do ano passado, bem quando ela e o marido encontraram, no Upper East Side, uma townhouse de 1910, perfeita para eles e os filhos, Gloria de 8 anos e George de 3. Vida nova em todos os sentidos!

O décor, feito pelo arquiteto e designer de interiores Giancarlo Valle, mostra total sintonia com o estilo de Marina: sofisticado e casual. Apesar das várias obras de arte, a decoração se mostra totalmente usável e real, de acordo com a realidade da família. A casa foi setorizada da seguinte maneira: térreo com living, sala de jantar e cozinha; primeiro andar com suíte do casal, quarto de brinquedos, terraço e segundo andar para os quartos das crianças.

O arquiteto trabalhou em conjunto com as ideias trazidas por Marina, que além de estar por dentro do mundo da moda, tem faro fino pra decoração, que vem de família. A madeira, as texturas e os pontos de cor, deixaram os ambientes elegantes o suficiente para recepcionar amigos, e ao mesmo tempo, condizentes com a realidade de uma família com duas crianças.

Marina, que sempre morou em Midtown, encontrou seu pedacinho de céu no Upper East Side, de onde pode ir trabalhar a pé se quiser e segue realizando seu ‘American Dream’ com louvor, pra sorte das fashionistas de plantão e orgulho das araçatubenses antenadas.

REFLEXÃO [O PAI NÃO ABANDONA NINGUÉM]

“O Pai que está nos céus não o abandona.

Ele o contempla. Você é pensamento divino feito realidade humana. Não veio à vida por acaso, mas por amorosa vontade do Criador.

Pense nisso cada vez que estiver em dificuldade, cada vez que lhe assaltar a tentação do desânimo.

Deus o ama tanto, que o trouxe à vida para ser um dos seus filhos e para poder se gloriar em você.

Pense, diga e repita muitas vezes: ‘O Senhor é meu pastor. Nada me faltará.'”

REFLEXÃO [O PODER DA MENTE]

“Respeite a força da sua mente.

Você sabe o poder que tem o seu espírito. É aquela energia cósmica que, sendo partícula do infinito, dá-lhe tremenda força para atrair o bem e produzí-lo em si.

Pense sempre o que de melhor você puder pensar. Atraia sobre si a saúde, pensando que tem saúde. Provoque alegria, pensando muito em coisas alegres. Aumente o bem que está dentro de você, conscientizando-se de que você foi feito para possuí-lo.

Repita sempre: ‘Deus me envolve constantemente com a sua Luz protetora'”.

texto: J.S. Nobre

#5 FILMES QUE SE PASSAM EM NOVA YORK

Faz tempo que não se fala em Nova York por aqui. Por isso, tentei fazer uma lista dos 5 filmes mais relevantes, que se passam na Big Apple. Eu disse ‘tentei’, porque a lista que era pra conter só cinco filmes, foi pra vinte…and counting!rs

A impressão que sempre tive, é que tudo de mais interessante, sejam histórias de amor, desfiles, festas, aventuras, acontece em Nova York, já percebeu?! São tantos filmes de diferentes estilos que retratam a cidade, que a vontade que dá é de pegar o primeiro avião (sem passagem de volta) e ir voando pra lá, para aquela pequena ilha que abriga grandes sonhos.

Duvido você não se apaixonar por Manhattan depois de ler essa lista. Lembrando que ela foi feita baseada no gosto pessoal da #ArquitetaBlogueiraedoLar que aqui vos fala, ok?! Vamos aos Top Five!

  • Bonequinha de Luxo (1961): adaptação do livro de Truman Capote, Breakfast at Tiffany’s, teve atuação perfeita de Audrey Hepburn, que interpreta, de forma muito sutil, uma garota de programa (Holly Goligthly). A cena icônica acontece na abertura do filme, com o amanhecer no horizonte e a protagonista tomando seu ‘café-da-manhã’ em frente à loja da Tiffany & Co, na Quinta Avenida, vestindo um longo preto Givenchy, tudo ao som de Moon River. -tem no Netflix

  • Manhattan (1979): filme de Woody Allen do tipo ‘ame ou odeie’, que tem o diretor também como ator principal. É uma homenagem à sua amada cidade, filmado todo em preto-e-branco para realçar todo o charme de Nova York. A cena em que Isaac (Woody Allen) e Mary (Diane Keaton) sentam-se num banco à beira do rio, de frente para a Queensborough Bridge é um dos pontos altos do filme. Trilha sonora impecável! -tem no Netflix

  • Harry & Sally: feitos um para o outro (1989): comedia romântica que vai na contramão dos filmes ‘água com açúcar’, mostrando que o amor verdadeiro nem sempre é perfeito e que demanda uma boa dose de paciência e tolerância. Meg Ryan, que interpreta Sally, imortalizou a Katz’s Delicatessen, famosa por seu sanduíche de pastrami, na cena do fake orgasm. O restaurante fica na 205 East Houston Street.

  • Mens@gem para você (1998): divertido e romântico, mostra a relação de amor e ódio entre Kathleen Kelly (Meg Ryan) e Joe Fox (Tom Hanks), um romance através de mensagens nos primórdios da internet. O filme se passa no Upper West Side e mostra todo charme do bairro em algumas cenas clássicas, como: o capuccino que o par romântico do filme toma no Cafe Lalo, o passeio dos dois pela feira do bairro e finalmente, o encontro no Riverside Park, todo florido ao som de Somewhere Over the Rainbow. Lindo!

  • Hitch – Conselheiro Amoroso (2005): entre tantas opções, escolhi esse filme pra completar o Top Five, por ser o que mais mostra lugares clássicos de Nova York. Começando pelo passeio de jet ski pelo Rio Hudson até Ellis Island, posto de inspeção de imigrantes até 1954, por onde passaram mais de 12 milhões de pessoas; Restaurante Balthazar, onde Hitch se recusa a atender um cliente mau caráter; City Hall Park, por onde Hitch -‘bêbado’ de tanto anti-alérgico que tomou por causa da alergia a frutos do mar- e Sarah passam para chegar até o apartamento dela, que fica no Soho; Charging Bull, o famoso touro de Wall Street, onde Sarah encontra o mau caráter Vance; o Madison Square Garden aparece quando Allegra e Albert vão assistir ao jogo dos Knicks; o amigo de trabalho de Sarah marca um encontro para conhecer o famoso conselheiro amoroso e o local escolhido é o New York Zoo, que fica no Central Park. E a lista de lugares imperdíveis continua. Deu pra entender porque, além de ser muito divertido e ter uma trilha sonora incrível, tiver que deixar de fora alguns dos meus filmes favoritos e escolher Hitch?!rs

Bom, mas como eu disse, a lista de filmes se estendeu além do esperado. E pra não ficar só nas comedias românticas -meus preferidos- listei mais 15 títulos de diferentes gêneros pra vocês se divertirem nesse feriado: O Poderoso Chefão (1972), Os Embalos de Sábado à Noite (1978), Os Caça-Fantasmas (1984), Quero ser Grande (1988), Ghost (1990), Esqueceram de Mim 2 – Perdido em NY (1992), Amor à Segunda Vista (2002), Homem-Aranha (2002), De Repente 30 (2004), O Dia depois de Amanhã (2004), O Diabo veste Prada (2006), Sex and the City (2008), Um Senhor Estagiario (2015), A Travessia (2015).

E aí, consegui te convencer que essa cidade é realmente apaixonante?! Assiste um ou mais filmes dessa lista e depois me conta qual foi o preferido. Conhece outros títulos que esqueci de citar aqui? Comenta também!

Beijo, outro, tchau!

REFLEXÃO [AMAR O PRÓXIMO]

‘Aquele que não ama, não conhece a Deus, porque Deus é caridade.’

“Quando você vir uma pessoa, seja ela qual for, lembre-se de que Deus habita e faz dela seu templo.

Ora, isso quer dizer que você, diante de qualquer semelhante, tem de proceder como se estivesse perto de Deus, de quem qualquer ser humano é ‘imagem e semelhança’.

Se você não conseguir amar o próximo que vê, como será possível amar a Deus, que você não vê?”

texto: J.S. Nobre

REFLEXÃO [BONDADE: UM DESAFIO]

“Saiba ser bom indistintamente. Não há vantagem, nem mérito alguma quando você pratica a bondade com pessoas que lhe são simpáticas ou mesmo com aquelas que lhe parecem naturalmente boas.

Realmente importante é que você procure ser bom junto àqueles que o recebem mal e tentam colocar dificuldades no caminho da sua bondade.

É um desafio que você mesmo deve se propor a vencer, porque, esse sim, lhe trará a melhor recompensa interior: a da verdadeira caridade cristã.”

texto: J.S. Nobre