Oi, ‘pipow’! Voltando com o viv(it) | blog e reiniciando, depois desse ‘apagão virtual’, com a tag nova: BABY TALK!

Apesar de já estar no sétimo mês de gestação (completo 30 semanas amanhã) e ter passado um tempão sem falar dessa experiencia maravilhosa, resolvi contar os fatos mais relevantes pra vocês. Começando pelas DORES E DELICIAS DE SER GESTANTE.

No primeiro mês, uma maravilha! Não sentia nada, até esquecia que estava grávida. Já a partir do segundo mês, começaram os enjoos, que duraram até o quarto mês. Juro, nessa fase, eu acordava enjoada, não conseguia comer nada, emagreci 2Kg, sem vontade de sair pra nada. Nem vontade de levantar da cama eu tinha, pois o sono e cansaço eram grandes. Passei esse período todo sem nem passar um rímel. Tava ansiosa esperando a tal fase, na qual diziam que grávida fica bonita e radiante!rs

Enfim, como tudo na vida, isso também passou. A partir de então, foi só alegria! A vontade de me arrumar voltou, comecei a sentir a Sofia se mexer (primeiro, achei que fossem gases, depois percebi que era ela!rs). Tudo ótimo, até o sétimo mês. Foi aí que recebi uma noticia que me deixou chateada. Depois do carnaval e suas extravagancias, fiz uma curva glicêmica, onde meu endocrinologista, Dr. Fabio Yamamoto constatou: estava com diabetes gestacional. Poxa, tudo perfeito até aquele momento, bebê crescendo e ganhando peso dentro da media, eu super bem com meus 3,8Kg a mais, a noticia caiu como uma bomba. E essa era de puro chocolate…amargo!

Corri pra nutricionista, onde a Fabiana Matos me passou uma dieta, que estou seguindo à risca, com direito a exercicio físico TO-DO-SAN-TO-DI-A. Não é fácil se privar de alguns prazeres mundanos, como a gula e a preguiça no dia-a-dia, agora imaginem nesse momento, onde a fome e a vontade de dormir se unem?!

A verdade, é que nunca me senti tão exigida na vida. No trabalho, no projeto do quarto da Sofia e seu enxoval, na vinda do meu marido pra Birigui, e essa ‘surpresinha’ a essa altura, com direito a testes glicêmicos e dedos furados diariamente (três vezes ao dia, pra ser mais exata). Pra completar, uma dor nas costas que tá me travando até pra andar! Tá bom pra você?!

E por que eu tô firme, acordando às 5h45  pra fazer caminhada, dando um ‘gelo’ no chocolate, me entupindo de salada e fazendo tratamento de Barras de Access? Porque tudo o que faço agora, reflete nela e vai refletir depois que ela sair daqui de dentro, pra esse mundão (queria ela aqui pra sempre <3 ). Eu descobri que sou mais forte que uma caixa de Bis, que tenho mais força de vontade pra cumprir metas do que imaginava e acima de tudo, que os sacrificios da maternidade começam muito antes do bebê nascer…e valem a pena!

*Ainda quero falar o por quê da minha rebeldia com as roupas de gestante (oi? Cortar a lateral da calça e por elástico?), minhas compras no “Paris-guay” (se valeu a pena ou não) e mais o que vocês quiserem saber! Conta aí, divide sua experiencia também!

Beijo, outro, tchau!